sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Hoje é assim


Não tenho quinta nenhuma. 
Se a quero ter p’ra sonhar, 
Tenho que a extrair da bruma 
Do meu mole meditar.


E então, desfazendo a névoa 
Que há sempre dentro de nós, 
Progressivamente elevo-a 
Até uma quinta a sós.


Vejo os tanques, vejo as calhas 
Por onde a água vai pequena, 
Vejo os caminhos com falhas, 
Vejo a eira erma e serena.


E, contente deste nada 
Que em mim mesmo faço externo, 
Gozo a frescura relvada 
Da não-quinta em que me interno.

Vilegiatura impossível, 
Dou-lhe nós para lembrar, 
E esqueço-a ao primeiro nível 
Do meu mole meditar.


In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

2015#6

Hoje é dia de meter mãos à obra de arrumar a árvore de Natal e o presépio, voltar a ganhar espaço para as brincadeiras da Maria. 
E não me apetece nada. Toda uma preguiça se instalou no corpo.


2015#5

A seara cresceu.

domingo, 4 de janeiro de 2015

2015#4

Aproveitar o sol de Janeiro e apanhar ar fresco. Brincar às princesas com uma manta. Ir buscar milho e dar às galinhas. Se há coisas boas em viver no campo esta é uma delas. Sair de casa e ter um pouco de chão que é nosso justifica as nossas escolhas.


2015#3

Room with a view. 
Manhãs de Inverno, frias mas cheias de sol. Gosto muito!

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

2015#2

Gosto de cadernos, caderninhos, agendas, lápis e canetas. Gosto de material de papelaria. Pena mesmo é não os saber estimar: perco canetas, parto lápis,o encanto dos cadernos desaparece quando escrevo qualquer coisa à pressa ou faço desenhos sem sentido enquanto entorpeço numa qualquer reunião.  E depois tenho de comprar outro. 
Com o começo de um novo ano tinha obrigatoriamente de comprar um caderno novo. Infelizmente não havia muito por onde escolher ( saudades da Papelaria Fernandes...)  e acabei com um caderno 'assim assim'. Já na caixa para o pagar encontrei um outro caderninho, com uma estampagem a imitar chita, e por ser tão pequenino achei que era ideal para guardar as coisas engraçadas que a Maria vai dizendo ao longo do ano.  E pronto, só falta a caneta.


quinta-feira, 1 de janeiro de 2015