quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Relatório Natal

E lá se passou outro Natal, o primeiro que passámos juntos na nossa casa. Correu bem, ninguém andou à pancada e houve comida e bebida até dizer chega. Pena mesmo foi o tempo ter estado manhoso o que fez com que a minha avó não visse, uma vez mais, o exterior da casa. O trajecto dela foi mais carro-casa-carro...
Ah, e estreámos em grande o nosso forno a lenha! Saiu de lá uma galinha corada que eu nem vos conto... O cabrito é que podia ter ficado melhor (segundo disseram porque é coisa que eu não aprecio) mas como foi a primeira experiência com o forno temos desculpa.
Este ano apeteceu-me enviar postais porque gosto muito de enviar/receber cartas. Os e-mails são muito práticos sim senhor mas receber uma carta tem outra graça.
Então falei com a Ana Oliveira, ilustradora/escultora cujos trabalhos podem apreciar em http://ilustrana.blogspot.com/ e em menos de nada tinha uns postais muito catitas para enviar à malta amiga. Não é por nada mas quem recebeu (e ainda não enviámos todos!) gostou muito e nós, claro, ficámos bastante contentes. Ora vejam como ficámos tão lindos: eu na versão 2 em 1, o sr.AC e a nossa querida Dixie. Ao fundo, a nossa casa. O melhor sítio do mundo.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Natal e alheiras

O nosso vai Natal vai ser passado em casa com a família. Vai ser o primeiro ano que passamos juntos (eu na versão 2 em 1) e espero que seja, acima de tudo, um Natal em paz. Podia continuar a dizer coisas lamechas e imbuídas de espiríto natalício mas... mas o que não me sai da ideia é que devia comprar uma alheira para assar na lareira. E empadão de alheira também deve ser bom. Ou lasanha de alheira com espinafres. Nham.
Bom Natal meus amigos!!!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Colchas de renda, panos e serviços

Tremo ao pensar na quantidade de colchas de renda, finos atoalhados turcos, naperons, serviços de jantar, faqueiros e copos que nos querem fazer herdar.
A minha mãe, por exemplo, já veio com a conversa do belo serviço de jantar que tem lá em casa, que lhe custou os olhos da cara, que é de cerâmica portuguesa e que....usou uma vez. Tem graça que o argumento que usa para me impingir o serviço é esse mesmo "eu já não vou usar o serviço, só o usei uma vez." Eu acrescentaria que só usou uma vez porque lá em casa mal cabia uma mesa para 4 pessoas jantarem diariamente quanto mais para um jantar de 12 pessoas com direito a finos pratos.
Depois tenho as rendas da minha avó, que demoraram anos a fazer, com muito custo à luz do petróleo depois um dia de trabalho no campo. Eu já tentei explicar mil vezes que não aprecio e que nem sequer tenho espaço lá em casa para tanta arroba de renda. É a mais pura das verdades. Mas logo me devolve o olhar triste que denuncia que eu sou uma grande ingrata e diz "custou-me tanto a fazer...E levavas também esta que era para o teu irmão, tão linda que é e ele não liga a estas coisas. E uns naperons para o sofá. E uns lençóis com uns bordados." Explicar que eu NUNCA vou usar aquelas coisas é o mesmo que nada. A ideia não é assimilada e a surdez torna-se a maior aliada.
Do lado do sr. AC a coisa não vai melhor e já houve umas tentativas de "passa a outro e não ao mesmo" de copos, pratos e rendas.
Estamos tramados, é o que é. Tenho de arranjar uma estratégia.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Sem açúcar

Queria agradecer à TVI pela peça sobre a suposta falta de acúcar que fez com que velhinh@s, doméstic@s e desocupad@s deste nosso país fossem a correr ao supermercado comprar paletes de acúcar para encher a despensa até ao Natal de 2018. Eu só queria quinhentos gramas para fazer uma receita de choco cookies da Nigella e não encontro uma embalagem em lado algum. 'Tá mal, muito mal.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Grandes dilemas da humanidade

Ora vamos lá a ver se chego a uma conclusão: Quantos canhotos vocês conhecem que usam o rato do computador com a mão direita? Vá lá, olhem para os colegas de trabalho, lembrem-se de primos, amigos, chefes, a senhora chata das finanças, o mediador de seguros, o médico...


(Não querendo enviesar qualquer resultado digo-vos que eu sou canhota e uso, obviamente, a mão esquerda para o rato. O sr. AC por sua vez também é canhoto e usa, sabe-se lá porquê, a mão direita.)

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Natal

Ontem, dia chuvoso e de temperatura estranha, foi o dia escolhido para salpicarmos a Alegre Casinha com ares de Natal. Vai daí e montámos uma árvore no sítio onde se situava a antiga cozinha da AC. Não posso deixar de sorrir a olhar para a figura do meu pai armado em pedreiro e de me recordar do ar ligeiramente preocupado do sr.AC com o estado da casa... Conseguem ver o buraco ao pé das costas do sr.AC?! :)
A árvore não tem muitos enfeites (7 bolas e umas estrelas de palha que eu gosto muito) mas um deles é especial... É o pai Natal que trouxemos da Escócia e já foi baptizado: Frank!

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

O que se faz por aqui

Ele: vai para a oficina, faz bicicletas fixes e dá cabo das mãos.
Eu: durmo muito, enjoo mais e vou falar com a sanita.

Linda foto tirada no AKI. Se é normal? Não, mas podia ser pior.

bicicleta construída pelo sr.AC e conhecida por FatMan

terça-feira, 30 de novembro de 2010

A viagem

Este blogue ainda tem batimento cardíaco, que é como quem diz que ainda não foi abandonado. Só que ando há uns quantos dias a tentar escrever um post e tudo o resto fica para trás. Escrevo, apago, escrevo, apago. Ora acho parvo, ora acho lamechas, ora acho que não tem ponta por onde se pegue. Se calhar aproveito já este post a desculpar-me da ausência e digo logo de uma vez só, nem vou respirar ou deixar os dedos pararem de tocar no teclado: vamos ter um bebé. Já escrevi. É isto: vamos ter um bebé. Vem aí um bebé. Um bebé.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Chalet Dixie

Ainda não está pronto mas está quase, quase. A petit maison da Dixie tem um telhado que abre para facilitar a limpeza, apanhar solinho e arejar. Começo a pensar seriamente em por o Sr. AC a render*...
* no bom sentido, não se ponham com coisas! :)

Como posso livrar-me de gente chata no Facebook

A escolha do título deste post não foi ao acaso. Andei a ver as estatísticas aqui do blogue e reparei que algumas pessoas vêm aqui ter porque no google escrevem coisas esquisitas. Por exemplo, experimentem escrever "Blhéc que nojo" no Google. Para onde é que ele vos manda? Para aqui, claro está. E se escreverem "pescoço de cavalo na sanita"? Pois. ;)
Ora se há pessoas que pesquisam estas coisas no Google muitas mais haverá que estão fartas de gente chata no Facebook e que ipsis verbis escrevem "Como posso livrar-me de gente chata na Facebook", o título deste post. Pessoas desesperadas e que também não percebem nada do Facebook: não procurem mais! Nós, graças a várias almas caridosas que nos mostraram a luz, temos a solução. Nos comentários deste post há informação que vale ouro!

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Mini Alegre Casinha

Ontem foi dia de pôr em prática um projecto antigo: fazer uma casinha para a Dixie. Depois do trabalho o sr.AC comprou umas madeiras e começou a construir a mini AC, que vem em boa hora porque a chuva não nos quer largar. Acho que amanhã fica pronta para estrear!

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Rifo amigos no Facebook

Eu não sei se alguém vai entender o que vou para aqui escrevinhar mas cheguei à conclusão que não devia ter adicionado 60% das pessoas que fazem parte do meu rol de ‘amigos’ no Facebook. Caí no engano de adicionar só porque me lembro daquela cara na escola ou porque foi amigo de um amigo ou porque frequentou o mesmo café.
É que tenho uns quantos conhecidos que são chatos. Eu, que vou ao FB uma vez por semana, vejo aquilo entupido de coisas parvas. Escrevem no mural coisas assim a atirar para o enigmático, para o ai-que-eu-sou-tão-misterioso, sempre a terminar com reticências, do género “Em espera…” , “ só espero que ela consiga…” ou “também querem?...” . Espera do quê, senhor? Ela quem? Querer o quê?
Não tenho paciência para meias palavras. Para isso e para pessoas que escrevem tudo, mas tudinho, o que estão a fazer, desde o bacalhau à Brás que saiu mais seco que o habitual à dor abdominal ligeira com que começaram o dia. Isto de 10 em 10 minutos, sem exagero. Um tédio, é o que é. E nessas alturas eu questiono-me porque raio carreguei no botão ‘adicionar’.
Resta-me a sorte de ter uns quantos amigos que ou estão caladinhos ou partilham coisas minimamente inteligentes.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

D.Célia que raio é isto?

imagem daqui: http://montedomel.blogspot.com/

Hoje comprámos o Borda d' Água 2011 para saber o que devemos semear na nossa mini horta. Na última folha aparece o Juízo do Ano, uma espécie de previsão sumária do que vai acontecer no ano 2011. Meus amigos, a coisa não está fácil. A visão da D. Célia Cadete, autora do dito Juízo do Ano, é no mínimo negra. Ela é fome, peste, destruição. Ovelhas mortas, divórcios aos molhos, estações trocadas. Falta de vinho, trigo e azeite. Mas o que saltou à vista e me faz crer que a D. Célia Cadete quando escreveu este Juízo do Ano não estava no seu próprio juízo é este parágrafo:

"Nas pessoas as desuniões reinarão e os divórcios proliferarão, na saúde pode-se esperar febres e epidemias não só em Portugal mas um pouco por todo o mundo. Os que nascem neste ano de 2011 terão o rosto grande e feio, os olhos inclinados para a terra e assimétricos sendo o nariz grande e largo, os lábios grossos, as sobrancelhas juntas, a pele escura, os cabelos negros e ásperos, os dentes encavalitados e desproporcionados. As mulheres terão peitos volumosos em corpos magros e esqueléticos."

trabalho de elevada qualidade no paint by me
A minha teoria é que a D. Célia estava com os azeites neste dia, zangada com o Sócrates, com a vizinha, o homem do talho, a sogra, o espelho, o médico de família e o universo em geral.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Há vida para além da crise



Eu já não posso ouvir falar na crise. Palavra de honra que não posso. Já não vejo telejornais, não leio notícias relacionadas com o aumento do IVA ou da Euribor, estou em negação. Esta 'negação' não significa que eu não dê importância ou que não quero saber. O meu problema é que já não suporto ouvir falar disso.
Ainda assim deixo-vos umas fotos de uma das nossas medidas anti-crise. :) Como sabem temos os arbustos plantados ao longo do muro do vizinho para abafar a chapa verde. Ora como o muro de pedra deixa passar alguma água quando regamos os arbustos resolvemos aproveitar essa água excedente para regar uma mini horta em banda*. Como temos uma cadela muito...activa...cof cof...o sr.AC fez uma pequena vedação com as telhas antigas. Agora falta encher o canteiro de terra boa e plantar uns espinafres, umas nabiças, alhos, uns tomates...
*a brincar, a brincar, no outro dia paguei quase 4 euros por um repolho e um nabo. Como diria a minha avó "está tudo pela hora da morte", o que me leva a crer que a hora da morte deve ser altamente inflacionada. :)

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Centopeias e courgettes

Ora bem, ontem fui mordida por uma centopeia gigante. Lá em casa nós temos um sistema altamente complexo de classificação de centopeias e que é qualquer coisa como "centopeia boa" e " centopeia má", sendo que as "boas" são menos más que as "más" porque centopeia boa é coisa que à partida não existe. A centopeia que me mordeu era das "más" e já está no cantinho do inferno dedicado exclusivamente à bicharada feiosa que morde as pessoas sem mais nem menos. A coisa aconteceu muito rapidamente: fui buscar a caminha da Dixie que estava no telheiro e ao puxar a toalha de praia que estava por baixo senti uma ferroada no meu dedo. Por momentos pensei que fosse um pico ou qualquer coisa do género mas quando dei um pontapé na toalha, proferindo talvez uma asneira repolhuda, a velhaca da centopeia saiu. Não teve tempo de ver a luz do dia e o meu chinelo caiu-lhe em cima e ainda levou umas bombadas de insecticida. Menos mal para mim que a mordidela não é assim tão dolorosa e assemelha-se a uma picada de abelha. Mas ficou o susto e o nojo. Blhéc.
E o que é que as courgettes têm a ver com o caso? Nada. Queria manifestar apenas o meu desagrado perante o pessoal que tem a mania que come cenas muito saudáveis e diz que "ah e tal a sopa com courgette não precisa de batata, fica igual!". Igual o tanas, parece sopa de hospital. É isso e dizerem-me que o tofu e o seitan bem cozinhados (sublinham sempre o bem cozinhado para nos poderem depois culpar) sabem a carne "e nem notas a diferença". Ou que os enchidos vegetarianos são "tal e qual uma alheira de mirandela".
É que é igualzinho. Tal e qual...

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Parabéns Moni 10-10-10


Ela é gira todos os dias.

Ela é A princesa

Ela faz um bolo num pyrex a 200º que é um espectáculo

Ela é arraçada de morcego

Ela fala de anticorpos monoclonais, sequências de DNA e outras coisas de que eu não percebo peva

Ela já é...ui....trintona.


PARABÉNS Ó MONIQUITA!!!*


codename claro está, que princesa que se preze tem nome fino. ;)

Sofrer por antecipação

...
Não gosto nada quando muda a hora.




(eu sei, eu sei, faltam 2 semanas mais coisa menos coisa)

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Partir a loiça toda

Comprámos há uns tempos atrás uns pratos do IKEA. Coisa simples, branquinhos, a um preço muito simpático. Pois que em 12 pratos (6 rasos, 6 sopa) uns 5 já têm uma lascadela feia. Ou o barato sai caro ou andamos com mãos de manteiga. A ver...

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

então é assim

As paredes da nossa querida casa de banho estavam muito 'despidas'. Vai daí e começámos a pensar no que poderiamos fazer para dar um pouco de alegria e cor ao espaço. Pensámos incialmente em fotografias mas não podiam ser fotografias nossas porque não me parece muito bem estar no wc a olhar para a nossa própria cara ou para a cara do nosso mais que tudo. A solução era colocar nas molduras paisagens ou pormenores. Mas, já não sei bem a que propósito, lembrámo-nos das tatuagens old school do Sailor Jerry que na sua maioria retratam motivos náuticos. Como o mar tem tudo a ver connosco e com a Alegre Casinha escolhemos 6 imagens para alegrar aquela divisão da casa. Quando estivermos fartos temos bom remédio e trocamos de 'tema'.
As fotos não ficaram grande coisa mas o resultado é este:


segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Adivinha

Onde moram estas tatuagens old school do Sailor Jerry? *




*não, não moram na minha pessoa.




Balanço, balancinho, balancete


Dixie Biela foi operada depois daquele encontro imediato com o caozarrão-amarelo-se-o-apanho-faço-lhe-a-folha. Já está em casa a recuperar mas ainda está murchinha, sem comer nada. Volta e meia vai abanando o rabiosque e dando umas lambidelas, o que nos parece bom sinal. A costura é grande (fartei-me de ter pesadelos esta noite, parecia que estava no meio de um SAW) mas parece estar a cicatrizar bem. O problema é o 'funil' que ela tem de usar para não ter a tentação de mexericar na costura. Não gosta daquilo mas é um mal necessário.
Entretanto ontem foi dia de ventania aqui para os nossos lados e o novo telhado e o telheiro dos carros passaram na dura prova. Até ver está tudo no sítio.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Kitsch

Todos nós temos um lado mais ou menos kitsch. O do sr. AC expressa-se numa prateleira da oficina.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

É provável


...que à velocidade a que esta aranha cresce em breve tenhamos uma sapateira a viver pendurada no nosso portão.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Pequena monstra

um dos pedaços de urze espalhados pela entrada da casa


Então comprámos nós umas flores para alindar um pouco o nosso palácio e a Dixie dá em destruir os vasos? O primeiro de todos foi um vaso pequeno que tinha um manjerico. Ficámos chateados mas não atribuímos grande importância. Depois foi o vaso com urze. Não durou 4 horas aqui em casa até conhecer o poder destruidor da pequena velhaca. Hoje quando chegámos a casa encontrámos a alfazema com as raizes ao sol.
A bem destas flores vermelhas e amarelas (não me lembro do nome...) e de todas as outras que queremos arranjar entretanto, é necessário fazer algo. Aceitam-se sugestões.

X in the spot


Desta vez foi a X. que nos veio visitar :)

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Frank


Durante as férias fomos visitar uma pequena destilaria de whisky. Fomos muito bem recebidos pelo Frank, aqui na foto com um kilt do clã Campbell. Depois da visita fomos até à loja comprar umas garrafas para trazer para Portugal. Após explicar ao grupo (nós, os 2 mexicanos e os 2 espanhóis) os vários tipos de whisky produzidos na destilaria ficou a sós comigo e com o sr. AC. Às tantas disse que já estava (bem) casado há mais de 40 anos. Depois olhou para nós com aquela cara de Pai Natal e disse muito baixinho, em jeito de sussuro e como se nos tivesse a contar um segredo ou algo inacreditável: " Yes, It can work!"
E se o Frank diz é porque é verdade. Verdade?

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Pai da criança


Pausa nos posts sobre as saudosas férias na Escócia. Para não dizer nenhum impropério vamos dizer que estou danada. Este cão que aqui vos apresento, este cão com cara de parvo, muito provavelmente roubou a inocência da nossa pequenina Dixie.

Bastou uma ausência nossa para jantar com a amiga X para o c#$#ão do cão saltar o muro que deve ter um 1m80 e ficar dentro do nosso terreno. E pronto, enquanto nós estávamos de volta dos mexilhões com molho à espanhola o caozarrão estava de volta...da Dixie. Chuif Chuif... Uma pouca-vergonha. Quando chegámos a casa o bandido ainda estava no nosso jardim mas com medo deu um salto e foi parar ao quintal da vizinha e ficou lá preso. Foi assim que eu pude tirar a fotografia do bicho. Sacaninha.
Agora lá vamos nós ao fim da tarde ao veterinário ver o que se pode fazer.
C%$%ão do cão...

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Pelo campo - a ilha de Skye e arredores

As Hébridas Interiores do Norte compreendem a ilha de Skye, as Ilhas Pequenas e todos os ilhéus que rodeam Skye. São parte da Highland Council Area. Foi precisamente a ilha de Skye, a maior e a mais setentrional das ilhas, que nós visitámos. Passámos lá apenas um dia mas por mim ficava um mês para poder explorar toda a ilha que é linda. A ligação à 'ilha mãe' foi feita por ferry em Mallaig até Armadale. A maior localidade da ilha chama-se Portree e apesar de eu não ter tirado nenhuma foto (shame on me) não podia deixar de colocar aqui uma imagem via wikipedia (foto n.º 3) para poderem ver como é um porto muito bonito. Fomos ainda até Kilt Rock, uma cascata assim conhecida por ter uma formação rochosa que se assemelha a um kilt. Na fotografia que eu tirei não se vê muito bem mas se repararem ao fundo está essa rocha com umas riscas na vertical que fazem lembrar as pregas dos kilts.
Nesse mesmo dia, já em Loch Duich, vimos o Castelo de Eilean Donan, um castelo do séc. XIII construído para defesa dos ataques vikings. O filme Duelo Imortal (com o Cristopher Lambert e o Sean Connery) tem várias cenas filmadas ali.


ps- Na fotografia n.2 há uma alegre casinha escondida.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Pela cidade - Edimburgo




Gostámos muito de Edimburgo! É uma cidade cheia de vida, com uma grande oferta cultural. No primeiro dia apanhámos o Fringe Festival e por isso em cada canto havia teatro, música, cinema, artistas de rua... Mas mesmo fora da época do Fringe, Edimburgo é uma cidade muito animada. E as várias igrejas transformadas em cafés ou restaurantes? A foto n.º4 mostra uma dessas igrejas que agora é um café.
Visitámos o Castelo (erguido sobre um antigo vulcão), passeámos pelos vários closes (pequenas ruelas entre os prédios antigos), provámos o sticky toffee pudding, explorámos o Museu Nacional, fizemos uma visita guiada a uma parte da cidade subterrânea, jantámos num pub dedicado a Conan Doyle, etc, etc.
Muito bom!