domingo, 28 de agosto de 2011

Ei-la

Ao vivo é pior. Nojo, nojo, nojo. E pensar que quando estava grávida fui mordida por uma destas...



quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Da preocupação. Extrema.

Os meus pais vieram visitar-me. Convencem-me a ir ao café. Meto-me no carro, o meu pai ao volante. Velocidade média: 40 km a atirar para os 30. Consigo ver todos os pormenores da estrada e até consigo ler o que está escrito numa caixa de cartão abandonada junto ao caixote do lixo. Fico impaciente e o meu pé direito pisa num pedal de acelerador imaginário.
Quanto mais velho, mais devagar o meu pai conduz.

Da inveja

No canal travel & living dá um programa que suscita em mim alguma inveja: 1000 places to see before you die. Basicamente é um programa em que um casal recém-casado (anónimo, não é gente famosa) viaja à borla, com tudo pago, durante 5 meses. 5 MESES! C-I-N-C-O M-E-S-E-S! Chuif.


segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Post ou não post

Estou para aqui a pensar com os meus botões se coloco aqui uma fotografia da centopeia gigante que aniquilámos com a ajuda da Dixie.

domingo, 21 de agosto de 2011

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Desejo de fim de semana

Que todas as pessoas que estacionam indevida e voluntariamente nos lugares reservados a deficientes, grávidas e acompanhantes de crianças de colo, tenham uma diarreia ligeira nesses momentos. É que esses lugares não são importantes apenas porque estão mais perto das entradas mas também e sobretudo porque são ligeiramente mais largos, o que permite, no meu caso, tirar a minha filha (que ainda vai no assento tipo ovo) do carro. Se entre o meu carro e o do lado houver apenas um pequeno espaço como é que coloco a criança no carro? Tenho de meter o ovo na bagageira (o que não é muito seguro, convenhamos), sair do estacionamento devagar, encostar numa berma e depois colocar o assento correctamente no banco.
Estou danada. Rais'partam esta gente que faz tudo para não andar mais 20 metros e só não leva o carro para dentro do supermercado porque não pode.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

já os melões e as melancias...


...estão assim... Diz o "Come-Sopa" (um dos nossos vizinhos/amigos séniores) que a culpa foi do vento.

tomates e resumo dos últimos dias

Cá por casa gostamos de experiências hortícolas. Depois do feijão verde, crescem agora, com toda a pujança, os tomates plantados em Junho. E que tomates, senhores! E que tomates! Um deles pesa uns simpáticos 630gramas. É tomate que nunca mais acaba. Já distribuímos sacos pelos amigos e quando a Maria dá tréguas dedico-me a fazer doce de tomate.
Entretanto a nova bicicleta que o sr. AC está a construir está quase pronta .