terça-feira, 15 de março de 2011

Do descanso

Tenho aproveitado estes dias "de repouso" para passear com a Dixie, sem sair do fundo da nossa rua. O espaço para recreio é mais que muito para aquilo que ela mais gosta de fazer: correr, correr, correr.
Pelo caminho apanho uma velhota a roubar malmequeres a outra vizinha. Chamam-lhe a Maluca do Altinho e só sei que colecciona montinhos de pedras à porta de casa, onde vive sozinha.
Um pouco mais à frente a figueira anã começa, timidamente, a vestir-se de verde. No chão, as florinhas do campo que tu tanto gostas.

3 comentários:

  1. Que bom que é podermos assistir ao tempo... e tudo o que ele traz, modifica, magica, inventa!
    Tanta coisa a surgir e a esmorecer e nós podermos assistir!
    Aqui, ando presa pelas aves... Ao fim dos dias, quando passo numas pontes e vejo as ìbis pousadas nos troncos despidos... parecem túlipas brancas... E os eucaliptos, os choupos... os freixos a rebentar!
    O vento a empurrar as núvens!
    Que bom podermos ver isso; viver!

    ResponderEliminar
  2. Olá!
    Encontrei o blogue por acaso e fiquei super fã, que belas ideias para a casa!! Muito originais! Parabéns!
    Beijinhos

    ResponderEliminar